Elon Musk lança ‘arquivos do Twitter’ detalhando censura de ‘história de Hunter Biden’

By Guilherme de Faria Martins da Silva
Published Dezembro 4, 2022 Updated Dezembro 4, 2022

Elon Musk lança ‘arquivos do Twitter’ detalhando censura de ‘história de Hunter Biden’

By Guilherme de Faria Martins da Silva
Published Dezembro 4, 2022 Updated Dezembro 4, 2022

O Twitter “tomou medidas extraordinárias para suprimir” a história do laptop de Hunter Biden, bloqueando links e publicando avisos de que era “inseguro”.

 

O #TwitterFiles está atualmente nos trending topics do Twitter depois que Elon Musk divulgou os “Arquivos do Twitter” internos na sexta-feira, que revelaram que a empresa respondeu a um pedido “da equipe de Biden” durante a eleição de 2020 – poucos dias depois que o Twitter reprimiu a história do laptop de Hunter Biden (filho do presidente dos EUA, Joe Biden).

 

Estamos verificando alguns fatos, então provavelmente comece a twittar ao vivo em cerca de 40 minutos.

— Elon Musk (@elonmusk) 2 de dezembro de 2022

 

Elon Musk twittou um link para a conta do jornalista independente e autor Matt Taibbi, que revelou a história por trás da censura da história do laptop de Hunter Biden em um tópico do Twitter.

 

Vamos lá!! 🍿🍿 https://t.co/eILK9f3bAm

— Elon Musk (@elonmusk) 2 de dezembro de 2022

 

Hunter Biden – Polêmica no Twitter

 

Nas últimas semanas da campanha presidencial no final de 2020, o Twitter decidiu restringir o acesso a um artigo do New York Post com alegações não verificadas sobre as atividades de Hunter Biden na Ucrânia.

 

Na época, o Twitter disse que a peça continha capturas de tela e fotografias que violavam a “Política de Materiais Hackeados” da empresa, que proíbe os usuários de postar imagens de materiais hackeados na plataforma. Os usuários foram impedidos de compartilhar o artigo no Twitter.

 

Esta decisão foi tomada nos níveis mais altos da empresa, mas sem o conhecimento do CEO Jack Dorsey, com o ex-chefe de jurídico, política e confiança Vijaya Gadde desempenhando um papel crucial, de acordo com Taibbi.

 

O que são “Arquivos do Twitter”?

 

“Algumas das primeiras ferramentas para controlar a fala foram projetadas para combater spam e fraudadores financeiros. Lentamente, ao longo do tempo, a equipe e os executivos do Twitter começaram a encontrar mais e mais usos para essas ferramentas. Pessoas de fora começaram a pedir à empresa que manipulasse o discurso também: primeiro um pouco, depois com mais frequência, depois constantemente”, disse Taibbi.

 

Taibbi postou uma captura de tela de um e-mail interno que continha links para tweets que deveriam ser excluídos. “Em 2020, os pedidos de atores conectados para excluir tweets eram rotineiros. Um executivo escrevia para outro: “Mais para rever da equipe de Biden”. A resposta voltaria: “Manipulado”, acrescentou.

 

  1. Celebridades e desconhecidos podem ser removidos ou revisados a mando de um partido político: pic.twitter.com/4uzkHnQ65E

— Matt Taibbi (@mtaibbi) 2 de dezembro de 2022

 

“Ambas as partes tiveram acesso a essas ferramentas. Por exemplo, em 2020, pedidos da Casa Branca de Trump e da campanha de Biden foram recebidos e honrados. No entanto, esse sistema não estava equilibrado e, supostamente, foi baseado em contatos. Como o Twitter era e é esmagadoramente composto por pessoas de uma orientação política, havia mais canais, mais maneiras de reclamar, abertos à esquerda (bem, democratas) do que à direita”, elaborou o jornalista.

 

Taibbi então twittou sobre as estratégias do site de rede social para suprimir a história dos “E-mails Secretos de Biden”.

 

“O Twitter tomou medidas extraordinárias para suprimir a história, removendo links e postando avisos de que ela pode ser “insegura”. Eles até bloquearam sua transmissão via mensagem direta, uma ferramenta até então reservada para casos extremos, por exemplo, pornografia infantil”, disse ele.

 

A porta-voz da Casa Branca, Kaleigh McEnany, foi bloqueada de sua conta por tuitar sobre a história, provocando uma carta furiosa do funcionário da campanha de Trump, Mike Hahn, que disse: “Pelo menos finja se importar com os próximos 20 dias”. Taibbi divulgou.

 

  1. “Eles apenas o fizeram como freelancer”, foi como um ex-funcionário caracterizou a decisão. “Hackear era a desculpa, mas em poucas horas, praticamente todo mundo percebeu que isso não iria se sustentar. Mas ninguém teve a coragem de reverter isso.”

— Matt Taibbi (@mtaibbi) 3 de dezembro de 2022

Isenção de responsabilidade
O conteúdo apresentado pode incluir a opinião pessoal do autor e está sujeito às condições de mercado. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou a publicação não tem qualquer responsabilidade por sua perda financeira pessoal.
sobre o autor
Guilherme de Faria Martins da Silva
2956 artigos
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.

Loading Next Story