O que é estagflação e como ela pode afetar os mercados de criptomoedas?

Por Guilherme de Faria Martins da Silva
Publicados Abril 24, 2023 Atualizado Abril 24, 2023
By Guilherme de Faria Martins da Silva
Published Abril 24, 2023 Updated Abril 24, 2023

Estagflação é o termo usado para descrever uma economia que tem alto desemprego e inflação significativa. Embora a estagflação esteja presente, ainda não está claro se investir em criptomoedas é uma jogada sábia.

Um estado de estagnação econômica conhecido como estagflação é caracterizado pela inflação, alto desemprego e lento crescimento econômico. Essa confluência é particularmente desafiadora para os formuladores de políticas econômicas gerenciarem, porque tentar abordar uma questão pode piorar outra. Durante a recessão de 1973-1975, a frase apareceu pela primeira vez.  O que é estagflação?

O que é Estagflação

Um período de crescimento econômico lento, uma alta taxa de desemprego e inflação são sinais de um ciclo de estagflação. Devido ao potencial de agravar um dos fatores, os formuladores de políticas econômicas acham essa combinação particularmente difícil de gerenciar.  O termo foi revivido nos Estados Unidos durante a crise do petróleo da década de 1970, que levou a uma recessão com cinco trimestres seguidos de crescimento negativo do PIB. De 1973 a 1974, a inflação dobrou e atingiu dois dígitos. Em maio de 1975, o desemprego chegou a 9%.

Um índice de miséria foi usado para ilustrar os efeitos da estagflação. Esse índice, que era apenas a taxa de inflação mais a taxa de desemprego somada, monitorava como a estagflação realmente afetava os cidadãos de um país.

História da Estagflação

Pensava-se que a estagflação era impossível. Foi excluído de seus modelos pelas teorias econômicas que predominaram nos círculos acadêmicos e políticos durante grande parte do século 20. Em particular, a política macroeconômica foi retratada como um trade-off entre desemprego e inflação na teoria econômica da Curva de Phillips, que emergiu no contexto da economia keynesiana.

Especialistas em economia ficaram preocupados com os riscos de deflação como resultado da Grande Depressão e da ascensão da economia keynesiana, e afirmaram que a maioria das políticas destinadas a reduzir a inflação normalmente tende a aumentar o desemprego, enquanto aquelas destinadas a reduzir o desemprego tendem a aumentar a inflação.

Mesmo em tempos de crescimento econômico lento ou negativo, a inflação tem se mostrado persistente. Cada recessão declarada nos Estados Unidos nos últimos 50 anos tem sido acompanhada por um aumento constante e anual nos níveis de preços ao consumidor.

O que causa a estagflação?

As causas da estagflação são um tópico muito disputado entre os economistas porque, antes da década de 1970 alimentada pela estagflação, a Curva de Phillips apoiava a ideia de que o desemprego e a inflação estavam inversamente relacionados. No entanto, os economistas apresentaram uma variedade de hipóteses sobre porque a estagflação ocorre.

Choque de Oferta

De acordo com a teoria do choque de oferta, uma queda repentina na oferta de um bem ou serviço leva à estagflação. Os aumentos de preços como resultado disso geralmente resultam em margens de lucro mais baixas para a maioria das empresas e crescimento econômico mais lento.

Políticas monetárias ruins

De acordo com a “teoria da má política”, más decisões econômicas frequentemente levam à estagflação. O governo e o banco central frequentemente tomam decisões ruins ao tentar controlar a economia. Por exemplo, após a Lei do Emprego de 1946, os EUA estavam antes da década de 1970 focados em maximizar o emprego em toda a sua economia, o que involuntariamente aumentou a inflação e impactou negativamente o emprego e o crescimento.

O Choque de Nixon, que viu o dólar desvalorizado e os congelamentos de salários e preços promulgados, é uma evidência de que as políticas governamentais que regulam a economia também podem ter um impacto. Em última análise, porque as intervenções para apoiar seus objetivos de estabilidade de preços, baixo desemprego e crescimento econômico podem entrar em conflito, os bancos centrais e os legisladores lutam para combater a estagflação.

Acumulação Diferencial

A explicação da acumulação diferencial da estagflação é uma teoria apresentada pelos economistas Shimshon Bichler e Jonathan Nitzan que afirma que há uma conexão entre fusões e aquisições, estagflação e globalização. Eles afirmam, de maneira semelhante à teoria do choque de oferta, que a acumulação diferencial impulsiona fusões e aquisições, o que, por sua vez, concentra o controle sobre a capacidade de controlar a oferta de mercadorias e o capital acumulado em menos mãos e aumenta o risco de estagflação.

Recuo da demanda

A teoria da estagflação de recuo da demanda, apresentada pelo economista Eduardo Loyo. Alega que a estagflação só pode resultar de choques monetários sem a exigência de um choque relacionado com a oferta. Isso acontece quando os regulamentos de aperto monetário são implementados pelos governos, como o aumento da taxa de juros federal ou a redução da oferta monetária.

Aumento de custos

De acordo com a teoria da inflação empurrada pelos custos, a inflação do lado da oferta é um dos principais impulsionadores da estagflação. Nesse caso, o aumento dos preços causa desemprego porque reduz as margens de lucro para as empresas, resultando em menor produção econômica. Tarifas, aumentos salariais e escassez de mão-de-obra podem ter um efeito sobre a inflação do lado da oferta.

Que efeito isso tem nos mercados de criptomoedas?

Para entender se os investimentos em criptomoedas têm um bom desempenho durante a estagflação, considere como os mercados tradicionais se comportam e por que durante a inflação. A estagflação é inerentemente ruim para os mercados tradicionais. Como os mercados de criptomoedas têm uma alta correlação com os índices gerais, o sentimento negativo pode se espalhar para as criptomoedas.

Em geral, os investidores tradicionais podem estar mais dispostos a enfrentar períodos de incerteza econômica do que aqueles que investem em criptomoedas, que estão associadas a uma maior volatilidade. Como resultado, pode haver menos demanda por criptomoedas durante a estagflação do que o habitual.

Pode prejudicar a criptomoeda

Também pode prejudicar os mercados de criptomoedas, desencorajando os investidores de varejo de comprar ativos digitais. Afinal, a alta inflação afeta diretamente quanto dinheiro as pessoas têm para comprar criptomoedas. No entanto, é considerado um investimento mais arriscado.

Os investidores frequentemente procuram maneiras de proteger sua riqueza da estagflação. Particularmente em nações onde ocorre hiperinflação, como Venezuela ou Argentina. Quando o custo de bens e serviços essenciais em uma economia aumenta rápida e incontrolavelmente. Diz-se que está experimentando hiperinflação. Aqui, os investimentos em criptomoedas são vantajosos porque oferecem um método de pagamento alternativo e oferecem proteção contra a hiperinflação durante a estagflação. Algumas pessoas podem decidir desviar algumas de suas economias para o Bitcoin, a fim de evitar a hiperinflação.

Conclusão

Não pode ser curado completamente. De acordo com os economistas, a produtividade precisa ser elevada a um nível em que resulte em maior crescimento. Mas está concluída sem causar mais inflação. Como resultado, seria possível apertar a política monetária e controlar o componente inflacionário da estagflação. A chave para evitar a estagflação é que os formuladores de políticas econômicas sejam extremamente proativos ao fazê-lo.

 

Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.
O conteúdo apresentado pode incluir a opinião pessoal do autor e está sujeito às condições de mercado. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou a publicação não tem qualquer responsabilidade por sua perda financeira pessoal.
Guilherme de Faria Martins da Silva
3332 artigos
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.

Loading Next Story