O que é MobileCoin (MOB)? 14 Dados sobre a Criptomoeda da Signal

By Guilherme de Faria Martins da Silva
Published Maio 2, 2022 Updated Maio 2, 2022

O que é MobileCoin (MOB)? 14 Dados sobre a Criptomoeda da Signal

By Guilherme de Faria Martins da Silva
Published Maio 2, 2022 Updated Maio 2, 2022

MobileCoin (MOB) tem atraído muita atenção ultimamente. A criptomoeda promete um sistema de pagamento simples através de qualquer aplicativo móvel.

 

Até agora, só parece ter integrado com Signal. O criador do aplicativo também faz parte da equipe da MobileCoin (MOB).

 

Mas o que é a criptomoeda? Hoje, vamos mostrar 14 coisas que você precisa de saber.

 

Nº 1. A MobileCoin (MOB) prioriza a segurança, a conveniência e a acessibilidade

 

Como explica IcoHolder, é uma criptomoeda descentralizada que procura revolucionar o sistema de pagamentos P2P. As transações ocorreriam diretamente entre usuários.

 

Além disso, não requer intervenção de terceiros, assemelhando-se a uma carteira cripto em vez de a outro tipo de plataforma. Outro ponto positivo é sua acessibilidade fácil.

 

Nº 2. O principal objetivo da criptomoeda é abrir o mercado a mais usuários

 

O CoinBureau tem um excelente artigo sobre o token. O primeiro objetivo da cripto é abrir-se ao usuário comum, integrando-se a aplicativos de mensagens móveis.

 

Esta é uma vantagem essencial, pois atuaria como uma ponte entre um mercado bastante complexo e uma audiência ampla. Os aplicativos incluiriam WhatsApp e Telegram.

 

Nº 3. A MobileCoin (MOB) tem 4 diferenças fundamentais em relação aos seus concorrentes

 

O mesmo artigo da CoinBureau menciona as 4 principais caraterísticas:

 

  1. A carteira é fácil de recuperar.
  2. As transações são simples e rápidas.
  3. A privacidade é uma prioridade.
  4. É ecológico e intuitivo.

 

No entanto, sua maior diferença é o suporte a mensagens móveis. Note-se que é a cripto mais avançada para conseguir isso.

 

Nº 4. O token utiliza técnicas inovadoras para garantir seu funcionamento

 

A MobileCoin (MOB) tem um código aberto, onde qualquer pessoa pode verificar técnicas de programação.  O objetivo é integrar o WhatsApp e o Messenger.

 

Ele também usa o teste Stellar Reputation, o mesmo protocolo da rede com o mesmo nome. Esta blockchain também permite uma maior eficiência. Esse modelo de consenso também é resistente a falhas bizantinas.

Leia mais:

Nº 5. O Mobile Messaging é o curioso nicho (MOB) da MobileCoin

 

Para não nos repetirmos tanto, vamos abordar o nicho único da criptomoeda. A ideia é poder integrar-se com qualquer aplicativo de mensagens móveis.

 

A partir daí, seria possível registrar-se na carteira cripto a partir da mesma interface. Também lhe permite efetuar pagamentos aos nossos contatos diretamente sem sair do aplicativo.

Nº 6. As assinaturas de toque são a solução para a privacidade com a integração móvel

 

A plataforma usa assinaturas em anel para autenticar a propriedade e o uso de criptoativos em sua cadeia. Ele também usa enclaves seguros para excluir informações estranhas.

 

Utilizando este método, pode impedir que os usuários liguem transações a remetentes e receptores.

 

Nº 7. A equipe de programadores da criptomoeda parece ter tudo o que é necessário

 

A CryptoDummy tem um fantástico resumo da equipe por trás da MobileCoin (MOB). Seu CEO é Joshua Goldbard, um perito na distribuição da rede. O conselheiro geral é Shane Glynn, um antigo funcionário do Google.

 

O mais curioso é Moxie Marlinspike, o CTO. Este é o criador da Signal e do protocolo criptográfico do WhatsApp. Ele também é um líder de segurança para o Twitter.

Leia mais: Top 10 Cripto Influencers Brasileiros para Acompanhar

Nº 8. O sinal é o primeiro sistema de mensagens a integrar com a MobileCoin (MOB)

 

Ao compartilhar o criador, não é surpresa que o Signal seja o primeiro aplicativo de mensagens a implementar a MobileCoin (MOB). O aplicativo usaria a carteira cripto e o token nativo para processar pagamentos entre seus usuários.

 

Nº 9. Mas a associação entre os dois não foi livre de controvérsia

 

É claro que nem todos concordaram com esta integração. Como muitas tentativas de integrar o setor de cripto, os críticos apontaram que ela só poderia ser uma tentativa de rentabilizar os usuários do aplicativo.

 

Além disso, questionaram a relação de Marlinspike com a criptomoeda. Outras fontes indicam que Sara Drakeley Hall é a CTO do projeto.

 

No entanto, isto não prejudicou a integração com o Signal.

 

 

Nº 10. A integração entre Signal e a criptomoeda parece ser bastante simples

 

A simplicidade é a prioridade do projeto. Para pagar novamente, só precisa conectar sua carteira cripto à Signal. O aplicativo consegue ler o saldo dos seus usuários e processar pagamentos.

Leia mais: NFT e Música: existe algo em comum?

Nº 11. Você pode comprar a MobileCoin (MOB) em várias plataformas

 

Se preferir investir diretamente na MobileCoin (MOB), você tem muitas opções. De acordo com a Bitcoin.es, a criptomoeda está disponível na eToro, Binance, Coinbase e diversas carteiras cripto.

 

Nº 12. O financiamento da criptomoeda foi extremamente bem-sucedido

 

A moeda digital também passou por algumas rodadas de financiamento. Entre as duas, a arrecadação final foi superior a 11 milhões de dólares. Além disso, ela imediatamente se mudou para a integração com o Signal.  

 

Nº 13. O serviço de pagamento da MobileCoin (MOB) no Signal está agora disponível no Reino Unido

 

Ainda não é possível usar o Signal para fazer pagamentos com a criptomoeda. Mas, A Infobae relatou que a versão beta no Reino Unido poderia conter esta função. Isso pode significar que a plataforma já está funcional e não deve perder muito para ver sua implantação geral.

 

Nº 14. Esta integração poderia simbolizar o máximo de privacidade em mensagens e finanças

 

Finalmente, a integração entre MobileCoin (MOB) e mensagens móveis é um objetivo fundamental para o crescimento da indústria cripto. Poderia ser um momento crítico para a adoção do mercado de massa.

Leia mais: O Futuro das Criptomoedas: desafios e vantagens

CoinGape Twitter

Isenção de responsabilidade
O conteúdo apresentado pode incluir a opinião pessoal do autor e está sujeito às condições de mercado. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou a publicação não tem qualquer responsabilidade por sua perda financeira pessoal.
sobre o autor
Guilherme de Faria Martins da Silva
2619 artigos
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.

Loading Next Story