Bitcoin Registra Maior Ajuste de Dificuldade de Mineração, Como isso ajuda os Mineradores?


Bitcoin Registra Maior Ajuste de Dificuldade de Mineração, Como isso ajuda os Mineradores?

  • A dificuldade de mineração da rede do Bitcoin foi reduzida em 28% com o desligamento dos mineradores chineses.
  • O ajuste da dificuldade de mineração diminuiria o elevado tempo de geração de bloco e também aumentaria a lucratividade do minerador.

A rede do Bitcoin passou por seu maior ajuste de dificuldade de mineração até hoje com uma diminuição de 28%. O ajuste de dificuldade de mineração vem em um momento em que a hashrate da rede caiu mais de 50% devido ao êxodo dos mineradores chineses de seu país com o ataque do governo.

Fonte: Glassnode

A China era o centro épico para a mineração de Bitcoin, contando com a maior parte da entrada de hashrate da rede. No entanto, o recente rígido ataque levou ao desligamento de algumas das maiores fazendas de mineração no país. Esse blackout repentino dos mineradores chineses levou a um tempo de geração de bloco elevado onde o tempo médio chegou a mais de 20 minutos em comparação com os atuais 10 minutos, a rede do Bitcoin também registrou seu segundo maior tempo de geração de bloco alguns dias atrás quando o bloco 689301 levou 139 minutos para ser minerado.

O tempo prolongado de geração de bloco e menor entrada de mineradores também levou a um declínio significativo na lucratividade de mineração no mês passado assim como no Ether. Os mineradores do Bitcoin viram sua lucratividade em junho ser reduzida em 42% em comparação com maio enquanto os mineradores do Ether viram sua lucratividade diminuir 52%.

O Último Ajuste de Dificuldade de Mineração Tornaria os Mineradores Mais Lucrativos

A dificuldade de mineração da rede do Bitcoin foi projetada para dias como esses e o último declínio de 28% na dificuldade derrubaria o tempo de geração de bloco para perto dos 10 minutos. Além de melhorar o tempo de geração de bloco, o último ajuste de dificuldade tornaria os mineradores americanos mais lucrativos.

O desligamento das fazendas de mineração chinesas de Bitcoin seguidas pelo maior ajuste de dificuldade de mineração está sendo retratado como um dos dias mais históricos para a rede do Bitcoin. Isso se dá principalmente por conta do êxodo dos mineradores chineses tornando a rede do Bitcoin mais descentralizada. O movimento também pressiona por mineração mais limpa com os países tentando atrair os mineradores chineses com melhores regulamentos.

Leia mais: 5 Criptomoedas Sobem até 93% e Deixam Bitcoin (BTC) Comendo Poeira no Mercado

CoinGape Twitter

Assine nossa newsletter gratuitamente

Disclaimer A Coingape está comprometida em seguir os mais altos padrões de jornalismo e, portanto, segue uma política editorial rigorosa. Dessa forma, a CoinGape toma todas as medidas para garantir que os fatos apresentados em seus artigos sejam precisos.
Isenção de responsabilidade: As opiniões, previsões, posições ou estratégias expressadas pelos autores e pelos que fornecem comentários são apenas suas e não refletem necessariamente as opiniões, previsões, posições ou estratégias da CoinGape. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou publicação não se responsabiliza por sua perda financeira pessoal.
Author: Guilherme de Faria Martins da Silva
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.
Publique seu comentário...
Guilherme de Faria Martins da Silva 1593 artigos
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.
Follow Guilherme de Faria @