ETF 100% de Bitcoin que Custa R$ 10 não Faz Sucesso e Arrecada Menos de R$ 15 Milhões


ETF 100% de Bitcoin que Custa R$ 10 não Faz Sucesso e Arrecada Menos de R$ 15 Milhões

  • Lançamento de ETF 100% de Bitcoin aconteceu nesta quarta-feira (23)
  • B3 inaugurou listagem de fundo, dedicado integralmente ao BTC
  • Volume de negociação em dia de estreia é abaixo do esperado

Logo após sua estreia na Bolsa de Valores do Brasil (B3) nesta última quarta-feira (23), o ETF 100% de Bitcoin QBTC11 não chamou tanto a atenção do mercado financeiro. De acordo com levantamento da QR Asset, no primeiro dia de negociação na B3 o fundo arrecadou menos de R$ 15 milhões.

Dessa forma, atualmente o patrimônio líquido do ETF 100% de Bitcoin da QR Asset está avaliado em cerca de R$ 113 milhões. Porém, antes da oferta na Bolsa de Valores, o fundo registrou aproximadamente R$ 99 milhões.

Assim, com um crescimento tímido em sua estreia na B3, o QBTC11 rompeu a marca de R$ 100 milhões em patrimônio líquido pela primeira vez. Com cotas que valem pouco mais de R$ 10, qualquer investidor pode comprar Bitcoin através do ETF da QR Asset.

Estreia de ETF na bolsa

Embora esse não seja o primeiro ETF de criptomoedas que estreia na Bolsa de Valores do Brasil, o QBTC11 é o primeiro ETF aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) dedicado totalmente ao Bitcoin (BTC).

Com o lançamento do ETF no início de junho de 2021, investidores aguardavam a abertura da listagem através da B3. No entanto, a inauguração do ETF 100% de Bitcoin não movimentou um grande volume de negociação.

Considerando que o QBTC11 arrecadou R$ 99 milhões antes do lançamento na Bolsa de Valores, é como se o ETF 100% de Bitcoin tivesse movimentado apenas 14% do patrimônio líquido total nesta quarta-feira (23).

Investimentos a partir de R$ 100

De acordo com a B3, qualquer investidor pode adquirir cotas do ETF 100% de Bitcoin da QR Capital. Com cotas que valem R$ 10,77 atualmente, investimentos no fundo são aceitos a partir de R$ 100.

Ao contrário do QBTC11, em abril de 2021 estreou outro ETF de criptomoedas na B3, o Hash11, que movimentou mais de R$ 156 milhões no primeiro dia de exposição na Bolsa de Valores.

Diferentemente do QBTC11, que aposta integralmente no Bitcoin, o Hash11 da Hashdex corresponde a investimentos em um cesto de criptomoedas, como: Bitcoin (BTC), Bitcoin Cash (BCH), Chainlink (LINK), Litecoin (LTC), Stellar (XLM) e Ethereum (ETH).

Atualmente com um valor de capitalização acima de R$ 1 bilhão, o ETF de criptomoedas da Hashdex representa um patrimônio quase dez vezes superior ao do ETF 100% de Bitcoin da QR Capital.

CoinGape Twitter

Assine nossa newsletter gratuitamente

Disclaimer A Coingape está comprometida em seguir os mais altos padrões de jornalismo e, portanto, segue uma política editorial rigorosa. Dessa forma, a CoinGape toma todas as medidas para garantir que os fatos apresentados em seus artigos sejam precisos.
Isenção de responsabilidade: As opiniões, previsões, posições ou estratégias expressadas pelos autores e pelos que fornecem comentários são apenas suas e não refletem necessariamente as opiniões, previsões, posições ou estratégias da CoinGape. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou publicação não se responsabiliza por sua perda financeira pessoal.
Author: Paulo José
Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Ele conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos depois. Ele trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas e atualmente é um dos contribuidores do CoinGape.
Publique seu comentário...
Paulo José 218 artigos
Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Ele conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos depois. Ele trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas e atualmente é um dos contribuidores do CoinGape.
Follow Paulo @