Primeiro caso de informação privilegiada de cripto na Coinbase recebe 10 meses de prisão

By Guilherme de Faria Martins da Silva
Published Janeiro 11, 2023 Updated Janeiro 11, 2023

Primeiro caso de informação privilegiada de cripto na Coinbase recebe 10 meses de prisão

By Guilherme de Faria Martins da Silva
Published Janeiro 11, 2023 Updated Janeiro 11, 2023

Nikhil Wahi, irmão de um ex-gerente de produto da Coinbase, foi condenado a 10 meses de prisão por acusações de informação privilegiada de criptomoedas.

 

O irmão de um ex-gerente de produto da Coinbase Global Inc. foi considerado culpado de sua posição em uma conspiração para negociar com conhecimento interno de quando a exchange de criptomoedas aprovaria novos tokens cripto e os abriria para negociação pública. No que os promotores dos EUA saudaram como o primeiro caso de informação privilegiada envolvendo criptomoedas, Nikhil Wahi, o autor do plano de negociação ilícito, recebeu uma sentença de 10 meses de prisão por sua participação no esquema.

 

Informação privilegiada na Coinbase

 

Nikhil Wahi afirmou em setembro do ano anterior que havia executado negociações com base em informações que foram consideradas exclusivas pela exchange cripto Coinbase, com sede nos EUA.  Ishan Wahi, o antigo gerente de produto da Coinbase, é acusado pelas autoridades federais em Manhattan de divulgar informações confidenciais a seu irmão e seu conhecido mútuo Sameer Ramani sobre novos tokens cripto que a Coinbase pretendia disponibilizar para os usuários negociarem.

 

De acordo com os promotores, Wahi conseguiu acumular cerca de US$900.000 investindo em 40 ativos digitais diferentes com as informações que recebeu de seu irmão. O veredicto final foi proferido pela juíza distrital dos EUA Loretta Preska.

 

Nikhil aceitou seu crime e foi citado dizendo:

 

Cometi um erro enorme, um erro terrível. É algo com que terei que viver para sempre.

 

Nikhil Wahi para reembolsar todos os lucros

 

Além da pena de prisão, Wahi também foi ordenado por Preska a desistir dos US $ 892.525 em lucros que ele havia gerado com o insider-trading. Além disso, ele foi colocado em liberdade condicional por um período de dois anos.

 

A promotoria pediu que Wahi recebesse uma sentença de prisão de até dezesseis meses se ele fosse considerado culpado. No entanto, a advogada de defesa Priya Chaudhry explicou ao juiz que Wahi não foi movido pela ganância, mas sim pela intenção de reembolsar seus pais indianos por pagar sua educação universitária nos Estados Unidos e ajudá-los a ter uma aposentadoria mais segura.

 

Wahi, que esperava evitar qualquer tempo de prisão, será obrigado a retornar à Índia assim que terminar de cumprir sua pena.

Isenção de responsabilidade
O conteúdo apresentado pode incluir a opinião pessoal do autor e está sujeito às condições de mercado. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou a publicação não tem qualquer responsabilidade por sua perda financeira pessoal.
sobre o autor
Guilherme de Faria Martins da Silva
2956 artigos
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.

Loading Next Story