Seleção Brasileira (CBF) terá Criptomoeda Própria assim como o Vasco e o Corinthians

By Paulo José
Published Junho 28, 2021 Updated Junho 28, 2021
altcoins

Seleção Brasileira (CBF) terá Criptomoeda Própria assim como o Vasco e o Corinthians

By Paulo José
Published Junho 28, 2021 Updated Junho 28, 2021
  • Time de futebol do Brasil desenvolve criptomoeda própria e NFTs
  • CBF lança token fan em parceria com Bitci Technology
  • Seleção segue passos de times como o Corinthians e Vasco

Logo após o lançamento de tokens fans voltados para famosos times de futebol no país, como Vasco e Corinthians, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu criar uma criptomoeda própria, de acordo com site Torcedores.com.

Segundo a proposta de criação do token fan, a CBF terá uma criptomoeda própria que será comercializada em uma exchange, e que será emitida pela empresa turca Bitci Technology.

Além de representar o time masculino da seleção brasileira de futebol, o token fan da CBF é voltado também para a participação da seleção feminina. Além disso, as seleções Sub-20 e Sub-17 devem fazer parte do projeto da criptomoeda da CBF.

Time do Brasil terá criptomoeda

Em breve torcedores da seleção brasileira poderão comprar e vender o token fan da CBF que será criado em parceria com a Bitci Technology. Além de emitir a criptomoeda da time do Brasil, a empresa turca será também responsável pela negociação do ativo digital, através da exchange Bitci.com.

Segundo entrevista de Antônio Carlos Nunes, presidente em exercício da CBF, o token fan estreitará relações entre os times da seleção brasileira de futebol e os torcedores, que poderão interagir com o clube através da criptomoeda.

Para Nunes, a relação entre o mercado de futebol e os torcedores está experienciando mudanças ocasionadas pela inserção de tokens fans no esporte.

“Iremos conectar a paixão pela seleção nacional mais popular do planeta com experiências, conteúdos e benefícios. A forma como o futebol é consumido está mudando e entrar no mercado de tokens de torcedor é uma etapa crucial.”

Vasco e Corinthians fazem sucesso

Conhecidos como tokens fans, ou ainda, tokens de utilidade, as criptomoedas de times de futebol aproximam torcedores dos atletas através da tecnologia blockchain. Além disso, essas criptomoedas podem resultar em um financiamento indireto de clubes por parte da torcida, e em alguns casos, até algum tipo de lucro em relação ao mecanismo de solidariedade.

Esse é o caso dos tokens fans criados pelos times de futebol Vasco e Corinthians. Negociado pelo Mercado Bitcoin, o Vasco token representa a tokenização de craques do clube carioca.

Enquanto isso, a criptomoeda do Corinthians ($SCCP) foi anunciada recentemente pelo clube paulista, de acordo com o Estadão. Ou seja, daqui a pouco os torcedores poderão negociar também o fan token do Corinthians.

 

Em entrevista, Duilio Monteiro Alves, presidente do Corinthians, afirma que o token fan do time pode alcançar mais de 35 milhões de torcedores que fazem parte do clube.

“Temos o orgulho de anunciar esta parceria com a Socios.com e a Chiliz como resultado de nossa intensa busca por inovações e novas plataformas de engajamento com nossa torcida. Agora, mais de 35 milhões de torcedores no Brasil e muitos mais ao redor do mundo poderão interagir com o Corinthians de formas emocionantes, onde quer que eles estejam.”

Além de uma criptomoeda própria, a CBF pode participar de lançamentos de tokens conhecidos como NFTs (tokens não fungíveis em sua tradução do inglês). Dessa forma, além de um token fan, o time pode apresentar artes digitais que eternizaram a cena do futebol brasileiro.

CoinGape Twitter

Isenção de responsabilidade
O conteúdo apresentado pode incluir a opinião pessoal do autor e está sujeito às condições de mercado. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou a publicação não tem qualquer responsabilidade por sua perda financeira pessoal.
sobre o autor
Paulo José
292 artigos
Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Ele conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos depois. Ele trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas e atualmente é um dos contribuidores do CoinGape.

Loading Next Story