Dados MA7 de Influxo de Mineradores Indicam que os Mineradores Ainda Não Estão Vendendo Seus Bitcoins


Dados MA7 de Influxo de Mineradores Indicam que os Mineradores Ainda Não Estão Vendendo Seus Bitcoins

• Os mineradores do Bitcoin não começaram a vender seus ativos, sugerindo que pode não estar perto do topo ainda.
• Os mineradores do Bitcoin venderem seus ativos é considerado um sinal baixista.

Os dados MA7 de influxo de mineradores indicam que os mineradores de Bitcoin ainda não começaram a vender seus ativos indicando que ainda não chegaram em um topo potencial nesse ciclo altista. A atividade de negociação de mineradores de Bitcoin age como um indicador de mercado importante afetando seus custos de mineração.

Bitcoin miners

O banho de sangue no mercado cripto essa semana viu mais de US$500 bilhões sendo apagados do mercado e as principais criptomoedas como Bitcoin e Ethereum também perderam mais de 50% de seu valor a partir de suas alta históricas. O Bitcoin caiu para uma nova baixa de 3 meses de US$30.681 na quarta-feira antes de fazer uma recuperação significativa de mais de US$10.000 em 24 horas. Os dados on-chain indicam que a venda por pânico em andamento é liderada principalmente por novos compradores e beneficiada por baleias que venderam mais de 50.000 BTC na semana passada e mais tarde compraram na queda com uma compra institucional coletiva de 34.000 BTC.

A venda atual do Bitcoin está sendo atribuída a diversos FUDs, a maior parte sendo sobre o ataque da China às atividades de mineração de Bitcoin. Tais alertar do governo chinês não são novos e diversos foram emitidos ao longo do tempo, no entanto, os especialistas sugerem que dessa vez o foco na neutralidade de carbono poderia ter um grande papel no ataque.

Como os Mineradores Impactam o Preço do Bitcoin?

A crescente dificuldade de mineração tornou a mineração de Bitcoin cada vez mais cara com qualquer máquina de mineração competitiva para dar um bom lucro podendo custar mais de US$1.500, além dessas máquinas precisarem funcionar 24 horas por dia com alto consumo de energia, tornando a mineração de Bitcoin cara. Assim, para os mineradores continuarem a oferecer aumento de poder de hash, o preço do Bitcoin deve permanecer maior do que o custo das operações.

Ano passado em março, quando o preço do Bitcoin caiu para níveis abaixo dos US$4 mil, houve medo de que o poder de hash da rede do Bitcoin sofreria muito com muitos mineradores descontinuando devido ao baixo preço do BTC. A cada halving, a mineração se torna mais cara, pois, há metade dos Bitcoins a serem minerados com quase o mesmo número de mineradores de antes.

CoinGape Twitter

Assine nossa newsletter gratuitamente

Disclaimer A Coingape está comprometida em seguir os mais altos padrões de jornalismo e, portanto, segue uma política editorial rigorosa. Dessa forma, a CoinGape toma todas as medidas para garantir que os fatos apresentados em seus artigos sejam precisos.
Isenção de responsabilidade: As opiniões, previsões, posições ou estratégias expressadas pelos autores e pelos que fornecem comentários são apenas suas e não refletem necessariamente as opiniões, previsões, posições ou estratégias da CoinGape. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou publicação não se responsabiliza por sua perda financeira pessoal.
Author: Guilherme de Faria Martins da Silva
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.
Publique seu comentário...
Guilherme de Faria Martins da Silva 1554 artigos
Escritor de conteúdo experiente em investimento e domínio de blockchain. Recentemente, obteve a certificação de Agente Autônomo de Investimento. Prospecto e planilhas de fundos de investimento, informações técnicas e comerciais relacionadas a produtos de investimento, white papers, white papers técnicos, sites e postagens em mídias sociais.
Follow Guilherme de Faria @