México Ataca Bitcoin (BTC), Ether (ETH) e Ripple (XRP): ‘Não Constituem uma Moeda Legal’


bitcoin

México Ataca Bitcoin (BTC), Ether (ETH) e Ripple (XRP): ‘Não Constituem uma Moeda Legal’

O governo do México publicou um novo comunicado nesta segunda-feira (28) sobre criptomoedas como Bitcoin (BTC), Ether (ETH) e Ripple (XRP). Segundo o Banco do México, ativos digitais não podem ser considerados uma moeda legal naquele país.

Assim, ao contrário de El Salvador, que celebrou o reconhecimento do Bitcoin como uma moeda oficial recentemente no país, no México as criptomoedas foram classificadas como ativos de risco.

Dessa forma, o aviso do Banco do México alerta para instituições financeiras que operam com criptomoedas no país latino. Conforme diz o comunicado, as instituições financeiras mexicanas não possuem autorização para a oferta de criptomoedas ao público.

“Os ativos virtuais não constituem moeda com curso legal no México, nem são moedas no quadro jurídico atual.”

México restringe Bitcoin

O Banco do México publicou um comunicado que pode ser entendido como um ataque contra as criptomoedas. Enquanto países como El Salvador reconhece o Bitcoin como moeda legal, no país mexicano os ativos digitais receberam uma classificação de risco pelo governo.

Ou seja, com o comunicado do governo mexicano, instituições que operam criptomoedas podem enfrentar até sanções por parte do país. No comunicado, as criptomoedas são apresentadas como ativos “sem valor intrínseco”.

“Ativos virtuais ou criptoativos são mecanismos de armazenamento e troca de informações eletrônicas. Estes não têm valor intrínseco e suas características tecnológicas podem ter vários usos futuros que podem determinar seu valor. Portanto, geralmente são ativos com um valor muito volátil e considerados especulativos. Embora possam ser trocados, não cumprem as funções de dinheiro, visto que a sua aceitação como meio de pagamento é limitada e não são uma boa reserva ou referência de valor.”

Banco planejava aceitar criptomoeda

O comunicado do Banco do México acontece poucos dias depois que o bilionário mexicano Salinas Piego sinalizou que poderia oferecer o Bitcoin através do Banco Azteca.

Considerado um dos maiores bancos do México, Piego disse que planejava aceitar criptomoedas, e poderia ser o primeiro banco daquele país a aceitar oficialmente ativos digitais como o Bitcoin.

Porém, com o comunicado do Banco do México, instituições financeiras podem ser penalizadas simplesmente por oferecerem criptomoedas como o Bitcoin, Ethereum ou XRP.

“As instituições financeiras do país não estão autorizadas a realizar e oferecer ao público operações com ativos virtuais, como Bitcoin, Ehter, XRP e outros, a fim de manter uma distância saudável entre eles e o sistema financeiro. Aqueles que emitirem ou oferecerem os referidos instrumentos serão responsáveis ​​pelas infrações à regulamentação que isso ocasionar e estarão sujeitos às sanções cabíveis.”

CoinGape Twitter

Assine nossa newsletter gratuitamente

Disclaimer A Coingape está comprometida em seguir os mais altos padrões de jornalismo e, portanto, segue uma política editorial rigorosa. Dessa forma, a CoinGape toma todas as medidas para garantir que os fatos apresentados em seus artigos sejam precisos.
Isenção de responsabilidade: As opiniões, previsões, posições ou estratégias expressadas pelos autores e pelos que fornecem comentários são apenas suas e não refletem necessariamente as opiniões, previsões, posições ou estratégias da CoinGape. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou publicação não se responsabiliza por sua perda financeira pessoal.
Author: Paulo José
Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Ele conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos depois. Ele trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas e atualmente é um dos contribuidores do CoinGape.
Publique seu comentário...
Paulo José 222 artigos
Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Ele conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos depois. Ele trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas e atualmente é um dos contribuidores do CoinGape.
Follow Paulo @