OKEx deve Entrar no Mercado Latino Americano Com Uma Parceria com a Settle Network


OKEx deve Entrar no Mercado Latino Americano Com Uma Parceria com a Settle Network

A exchange proeminente de criptomoedas, OKEx está pronta para se aventurar no mercado Latino Americano após uma nova parceria com a Settle Network. Cidadãos da Argentina, México assim como no Brasil serão capazes de comprar ativos de cripto proeminentes através de transferências bancárias.

OKEx Deve Utilizar A Subsidiária da Binance Latamex

As criptomoedas conseguiram acumular tração ao longo dos anos. A região da América Latina foi uma das principais impulsionadoras da adoção de cripto. Enquanto diferentes plataformas de cripto se aventuraram na região, a exchange de criptomoedas proeminente, OKEx é a última na lista.

Mais cedo hoje, a exchange de criptomoedas com base em Malta, OKEx publicou um post de blog revelando uma parceira com a Settle Network. A Settle Network foi elogiada como uma rede de liquidação de cripto proeminente na região da América Latina. A plataforma realiza pagamentos internacionais alavancando as infraestruturas financeiras dos países da América Latina.

De acordo com o post do blog, através da última parceria, OKEx deve usar a subsidiária da Binance, Latamex através da Settle Network. Isso mais adiante permitiria aos usuários da OKEx utilizarem seus pesos argentinos (ARS), real brasileiro (BRL) ou peso mexicano (MXN) para comprar criptomoedas como o Bitcoin [BTC] e a Ethereum [ETH].

Ao comentar sobre a última parceria, o CEO da OKEx, Jay Hao sugeriu que a exchange buscaria adotar diversas outras moedas fiat num futuro próximo. Hao acrescentou,

“A cooperação com a Settle Network é de significância estratégica para a OKEx. Os usuários da América Latina agora podem comprar BTC e ETH com diversas moedas locais com conformidade com transferências bancárias.”

COVID-19 foi um grande baque para o mundo. Com economias caindo e desemprego aumentando, as pessoas foram confrontadas com diversos percalços. A Argentina foi a vítima da crise da moeda mesmo antes da pandemia. Um Redditor da Argentina recentemente revelou que a menor unidade da moeda do país, o Centavo chegou ao valor de 1 Satoshi, que é a menor unidade do Bitcoin.

Argentina
Fonte

Além disso, o volume da Argentina em LocalBitcoins foi visto chegando a múltiplas altas. No momento em que esse artigo foi escrito, o volume semanal ficou em 59.044.291. Isso revela ainda que a OKEx fez a coisa certa com as criptomoedas sempre sendo consideradas um escape das amarras do sistema financeiro centralizado. Hao ainda sugeriu,

“Um dos objetivos importantes da OKEx é o de permitir a todos que aproveitem serviços financeiros livres de intermediários promovendo a economia impulsionada por blockchain. Para isso, é essencial baixar o limite para a troca entre criptomoedas e moedas fiat para cobrirmos os usuários em mais países e regiões.”

Summary
OKEx deve Entrar no Mercado Latino Americano Com Uma Parceria com a Settle Network
Article Name
OKEx deve Entrar no Mercado Latino Americano Com Uma Parceria com a Settle Network
Description
A exchange proeminente de criptomoedas, OKEx está pronta para se aventurar no mercado Latino Americano após uma nova parceria com a Settle Network. Cidadãos da Argentina, México assim como no Brasil serão capazes de comprar ativos de cripto proeminentes através de transferências bancárias.
Author
Publisher Name
CoinGape
Publisher Logo
Disclaimer A Coingape está comprometida em seguir os mais altos padrões de jornalismo e, portanto, segue uma política editorial rigorosa. Dessa forma, a CoinGape toma todas as medidas para garantir que os fatos apresentados em seus artigos sejam precisos.
Isenção de responsabilidade: As opiniões, previsões, posições ou estratégias expressadas pelos autores e pelos que fornecem comentários são apenas suas e não refletem necessariamente as opiniões, previsões, posições ou estratégias da CoinGape. Faça sua pesquisa de mercado antes de investir em criptomoedas. O autor ou publicação não se responsabiliza por sua perda financeira pessoal.
Author: Guilherme de Faria Martins da Silva
Publique seu comentário...